A educação musical deve ser uma parte de educação geral.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                        A música acalma o coração e ilumina a alma. Em mundos mais elevados, ela é um verdadeiro bálsamo e podemos senti-la com o coração. Ela pode servir para nos animar, reconfortar, acalmar ou simplesmente para louvar e agradecer ao nosso criador.

Home   Apostilas    Encore    Metodo Flauta    Metodo Violino    Metodo Bona   Metodo Pozzoli   Metodo Violão    Fale Conosco

HIGIENE VOCAL


Fonte: Behlau e Pontes Higiene Vocal Informações Básicas
SãoPaulo,

Higiene Vocal consiste do alguns cuidados simples e fundamentais que auxiliam a preservar a saúde vocal e a prevenir o aparecimento de alterações e doenças.
Os cuidados de higiene vocal devem ser seguidos por todos, mas principalmente por aquelas pessoas que utilizam a voz profissionalmente ou que apresentam tendência a alterações vocais.
A seguir encontram-se os principais tópicos referentes à higiene vocal.

Fumo

O fumo é altamente nocivo pois, quando se traga a fumaça quente agride todo o sistema respiratório e sobretudo as pregas vocais, causando aumento da secreção e dai o pigarro, tosse, irritação e infecções.
O fumo é considerado uma dos maiores causas de câncer de laringe e pulmão. O risco de indivíduos fumantes apresentarem câncer de laringe é 40 vezes maior em relação aos não fumantes.
O indivíduo não fumante que fica exposto à fumaça do cigarro pode também apresentar alterações, portanto deve-se evitar ficar em ambientes fechados com fumantes.

Álcool

O consumo de álcool causa irritação do aparelho fonador semelhante à produzida pelo cigarro, porém com uma ação principal de imunodepressão, ou seja, piora nas respostas de defesa do organismo.
Aparentemente algumas doses de bebida alcoólica provocam melhora na qualidade vocal. Na verdade o que acontece é uma levo anestesia na faringe diminuindo a sensibilidade dessa região, o falante pode começar a ter abusos vocais sem perceber e as conseqüências desse abuso só serão percebidas após o efeito da bebida, tais como: ardor, queimação, voz rouca e fraca.
Há forte associação entre consumo de álcool e câncer de laringe e pulmão. Dentre as bebidas alcoólicas, as destiladas (uísque, vodca, pinga e conhaque) são as piores para a saúde vocal.
O efeito do uso combinado do tabaco e álcool triplica a probabilidade do risco de câncer.

Drogas

O uso de drogas inalatórias ou injetáveis tem ação direta sobre a laringe e a voz, além dos inúmeros efeitos nocivos conhecidos como alterações cardiovasculares e neurológicas.
Quanto à maconha, sua ação é extremamente lesiva, irritando a mucosa pela agressão do fumo, pelas toxinas da queima do papel, e pelo alta temperatura provocada pela forma como se fuma a maconha.
A aspiração da cocaína em pó pode lesar diretamente a mucosa de qualquer região do trato vocal e é comum observarmos lesões perfuradas no septo nasal e ulcerações ao nível da mucosa das pregas vocais.
Cocaína injetável provoca hipotonia muscular (fraqueza) e quanto à voz, observa-se fadiga vocal e dificuldade de manter uma comunicação adequada e eficiente, particularmente no uso profissional da voz.

Alergias

Indivíduos com alergias manifestadas nas vias respiratórias, tais como bronquite, asma, rinite, e faringite são mais propícios a desenvolverem problemas de voz. Observa-se uma tendência ao edema (inchaço) das mucosas respiratórias, o que dificulta a vibração livre das pregas vocais. Além disso, pela presença constante do catarro pode ocorrer irritação direta da laringe.
Indivíduos alérgicos, principalmente os profissionais da voz devem fazer todo o esforço para evitar o contato com as substâncias e situações que desencadeiam suas crises, como: mofo, umidade, poeira, agasalhos de lã, perfumes fortes, inseticidas, desinfetantes, bom-ar, tintas frescas e animais domésticos.

Hábitos Vocais Inadequados
( Pigarrear, tossir e realizar competição sonora)

O ato de pigarrear ou “raspar a garganta”, assim como a tosse seca constante e sem secreção são maus hábitos comuns encontrados em indivíduos portadores de problemas de voz.
Essas práticas dão a sensação de alívio dó sintoma de pressão ou corpo estranho na garganta, com eventual melhora da voz, piorando a condição da laringe. Tais hábitos podem contribuir para o aparecimento de alterações nas pregas vocais através do atrito que provoca irritação e descamação do tecido. Quando houver catarro persistente deve-se inspirar profundamente e deglutir logo em seguida.
A competição sonora também é um hábito bastante comum. Quando se está num local barulhento, eleva-se a voz na tentativa de superar o ruído do fundo, como nas seguintes situações: professor e classe barulhenta; viagens de carro, ônibus, trem, metrô, festas, danceterias, etc... Deve-se evitar qualquer tipo de competição sonora, seja ela vocal ou com ruído ambiental.
É aconselhável que se mantenha a intensidade (volume) da voz em um nível moderado em todas as situações de comunicação.

Ar Condicionado


O resfriamento do ambiente com ar condicionado é realizado através da redução da umidade do ar com conseqüente ressecamento do trato vocal. Se o uso do ar condicionado for inevitável recomenda-se a ingestão constante de água na temperatura ambiente.
O aquecimento no inverno feito por calefação ou estufa provoca o mesmo tipo de ressecamento no trato vocal sendo também necessária a reposição de líquidos no organismo. Neste caso pequenos vasilhames com água auxiliam na melhoria da umidade relativa do ar.

Temperatura


O clima frio e úmido pode afetar o trato respiratório, favorecendo inflamações e infecções que impedem a livre função vocal.
As correntes de ar frio podem ser perigosas, sobretudo se o indivíduo estiver transpirando ou com pouca roupa, pelo choque térmico a que se submete o aparelho fonador. Os mínimos cuidados para se evitar os resfriados são:
descanso, alimentação equilibrada, e não exposição a mudanças bruscas de temperatura.

Alimentação


As dietas devem ser basicamente protéicas para dar força e vigor ao tônus muscular.
Alimentos pesados o muito condimentados lentificam a digestão e dificultam a movimentação livre do músculo diafragma, essencial para a respiração.
Alimentos leves, verduras e frutas bem mastigadas relaxam a musculatura da mandíbula, melhorando a dicção e dando a sensação de leveza ao corpo.
Para as pessoas com predisposição a alterações vocais sugere-se evitar comer chocolate, leite e derivados antes do uso intensivo da voz. Esses alimentos aumentam a secreção do muco, produzindo o pigarro.
Sugere-se também evitar a ingestão de bebidas gasosas, pois favorecem a flatulência (distensão gástrica ou intestinal por gases), prejudicando o controle da voz
Balas, “drops”, pastilhas, e “sprays” locais mascaram a dor do esforço vocal, prejudicando ainda mais o estado das mucosas.
São indicados: 1) maçãs, pois tem ação adstringente, limpando a boca e garganta auxiliando na ressonância da voz.
2) sucos cítricos, pois auxiliam na absorção do excesso de secreção.
3) água em temperatura ambiente pois hidrata a mucosa das pregas vocais.
Alimentos e bebidas geladas são prejudiciais pois provocam choque térmico, causando aumento de muco e edema (inchaço) das pregas vocais. Portanto os primeiros goles ou colheradas devem ser mantidos alguns segundos na boca antes de serem deglutidos, a fim de evitar a brusca mudança interna de temperatura.

Vestuário

Recomenda-se não usar roupas ou adereços apertados principalmente nas regiões do pescoço e cintura o que prejudicaria a produção vocal.
Sapatos devem ser preferencialmente baixos o de material natural como o couro.

Esportes

A natação e a caminhada são os mais indicados.
Os exercícios que devem ser evitados são aqueles que exigem movimentos violentos de braços como: tênis, basquete, peso, boxe, vôlei e musculação porque causam tensão muscular na região do pescoço, costas, ombros e tórax.
Ioga e alongamentos também são indicados.
Técnicas de massagem e relaxamento auxiliam no equilíbrio da musculatura corporal.
Exercícios de esforço muscular associado à vocalizações são contra indicados como o que geralmente ocorre nas aulas de aeróbica, judô e karatê.

Alterações Hormonais
(Ciclos menstruais, pílulas anticoncepcionais, gravidez e menopausa)

Alterações vocais como rouquidão com voz grossa e cansaço para falar são comuns nessas situações devido á ação dos hormônios.
Caso se observe voz alterada por mais de 15 dias, dor ao falar, sensação de aperto, esforço, ardor, queimação ou cansaço vocal procure um fonoaudiólogo ou médico otorrinolaringologista.
Problemas de voz podem colocar sua profissão e até mesmo sua vida em risco, mas são facilmente tratados quando correta e precocemente identificados.


Nélia Santos Lozano
Fonoaudióloga
 

 

 

 

 

                                .:: www.iamusical.xpg.com.br::. - todos direitos reservados - Elias Momberg Vieira

          Utilizadores Online